Reginaldo Campos apresenta defesa à comissão processante da Câmara de Vereadores

Audiência ocorreu nesta quinta-feira (23) na sala de Comissões da Câmara. Próximo passo é análise de informações, elaboração de relatório e votação no plenário. Reginaldo pode perder o mandato.

Audiência de Defesa ocorreu nesta quinta-feira na sala de comissões da Câmara de santarém (Foto: Reprodução/TV Tapajós)

Audiência de Defesa ocorreu nesta quinta-feira na sala de comissões da Câmara de santarém (Foto: Reprodução/TV Tapajós)

Seguindo o processo que pode cassar o mandato do vereador Reginaldo Campos (PSC), alvo da Operação Perfuga, a comissão processante da Câmara de Vereadores de Santarém, no oeste do Pará, ouviu o parlamentar nesta quinta-feira (23) em uma audiência de defesa. O processo ocorreu na sala de comissões da Casa Legislativa.

Campos chegou à Câmara conduzido pela Polícia Militar e acompanhado do advogado. Três vereadores, indicados pelas bancadas, integram a Comissão: Jardel Guimarães (Podemos), é o relator. Alisson Pontes (PSD) é o presidente e Tadeu Cunha (DEM), o integrante.

De acordo com o relator, vereador Jardel Guimarães, este processo segue as fases determinadas no Decreto-lei 201 e está dentro do prazo para que o investigado não faça alegações posteriores. “Está sendo devidamente obedecido e oferecido ao vereador Reginaldo campos o contraditório e a ampla defesa para que o mesmo não possa, posteriormente, questionar que foi cerceado pela a defesa”, enfatizou.

Na defesa, Reginaldo deverá informar quais os meios de prova que pretende produzir e o número de testemunhas, que pode chegar a 10. Depois que o processo for instruído com os depoimentos das testemunhas, um relatório será produzido pelo vereador Jardel Guimarães, e submetido à votação no plenário da Câmara Municipal.

Esse relatório, dependendo das informações prestadas nesta audiência, poderá ser favorável ou não a cassação. Enviado à Câmara, dos 21 parlamentares que compõem a Casa, o documento deve ser votado por dois terços, 14 vereadores, para aprovação e prosseguimento do processo.

O pedido de cassação do mandato de Reginaldo Campos chegou à Câmara de Vereadores em 11 de agosto através de iniciativa popular. No dia 21 do mesmo mês, os parlamentares aceitaram por unanimidade a abertura de investigações na Casa Legislativa. Desde então, a comissão acompanha o caso, com acesso ao inquérito da polícia.

G1 Santarém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *