Contrato é assinado e OS assume HMS e UPA nesta quinta-feira em Santarém

Assinatura foi na manhã desta quinta-feira (1º). Os primeiros 15 dias serão de transição, com a administração tanto da gestão municipal, quanto da OS.

O contrato que oficializa a transição da administração do Hospital Municipal de Santarém (HMS) e Unidade Pronto Atendimento 24 horas (UPA), da gestão pública para o Instituto Panamericano de Gestão (IPG) foi assinado na manhã desta quinta-feira (1).

O evento ocorreu no auditório do Centro Municipal de Informação e Educação Ambiental (CIAM), com a presença de autoridades políticas, representantes da Organização Social vencedora da licitação, e Conselheiros Municipais de Saúde.

Nos primeiros 15 dias, o HMS e a UPA serão administrados pelos dois entes, o que é chamado período de transição. Nesse tempo serão identificadas as fragilidades do serviço, e não haverá nenhuma demissão. A OS garante que o foco no momento é a humanização do atendimento, qualificando as pessoas que já estão trabalhando.

“Após a transição, quando o IPG assumirá a gestão inteiramente, vamos aplicar as mudanças necessárias e percebidas para que a população possa perceber um progresso a curto prazo”, esclareceu o médico André Franco, diretor técnico da OS.

O contrato de prestação de serviço entra em vigor nesta quinta-feira, e o diretor técnico revelou que será feito o abastecimento dos medicamentos e materiais que estão em falta nas duas unidades de saúde. “Já foi feito um levantamento do estoque de material e medicamento. Nós recebemos um pedido de compras de 430 mil seringas, só para o HMS, fora a Upa. Então percebemos que está desabastecido o hospital”, completou.

Segundo o prefeito Nélio Aguiar a expectativa são as melhores, e a população deve sentir mudança logo. “É uma conquista para a Santarém. Vamos ganhar dinamicidade na aquisição de medicamentos, na organização, no acolhimento. A OS tem metas, e eu vou acompanhar todas as ações por meio de um aplicativo, para que consigamos realmente oferecer um atendimento digno para a população santarena e da região oeste do Pará”, ressaltou o prefeito.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, subseção Santarém, Ubirajara Bentes, compôs a mesa, e em seu discurso avaliou positivamente a mudança. “Com isso, quando eu precisar de um atendimento, digo aqui, eu quero ser levado para o HMS que tem equipamentos que muitos hospitais particulares não têm. Ou seja, há mais preparo para receber pacientes em diversos estados clínicos”, disse o presidente.

Por outro lado, membros do Conselho Municipal de Saúde também estavam presentes, e apesar do momento representar uma evolução para alguns, o órgão identificou falhas no processo, que não deixaram de ser citadas no evento. “O Conselho não foi convidado para participar de nenhuma das reuniões que discutiam sobre o assunto. Está sendo assinado o contrato hoje, legal, mas o Conselho que deveria ser uma entidade fiscalizadora não participou do processo. Houve falhas e continuaremos defendendo isso. E tenho dito”, reclamou a conselheira.

Eleneide Mendes (em pé), membro do Conselho Municipal de Saúde (Foto: Fábio Cadete/G1)

Eleneide Mendes (em pé), membro do Conselho Municipal de Saúde (Foto: Fábio Cadete/G1)

Estrutura

Nos últimos dias, em que a frequência das chuvas tem aumentado, áreas do HMS foram alagadas, inclusive um vídeo de um funcionário que registrou o acontecimento viralizou nas redes sociais. A OS informou que as questões estruturais não serão solucionadas em curto prazo. Há um planejamento extenso para isso, mas será resolvido.

Por G1 Santarém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *