Após ser agredido, jovem se abriga sobre troncos no meio do rio e é resgatado pela Marinha

Jovem ficou flutuado sobre os troncos para não se afogar, até ser resgato pela equipe de Inspeção Naval.

Ítalo Lucas ficou sobre troncos de árvore até a chegada da equipe de Inspeção Naval (Foto: Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação)

Ítalo Lucas ficou sobre troncos de árvore até a chegada da equipe de Inspeção Naval (Foto: Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação)

Um fato inusitado aconteceu na manhã desta sexta-feira (1) em Santarém, oeste do Pará. Um jovem de 18 anos se apoiava sobre troncos de árvore no meio do rio Amazonas. Ele teria fugido para o local após sofrer agressões na orla da cidade, e precisou ser resgatado pela Inspeção Naval da Capitania Fluvial de Santarém.

De acordo com a Capitania, era por volta das 07h quando a Inspeção Naval recebeu a informação, por meio de um casal, que um jovem tinha sido avistado nas proximidades da Ilha Ponta Negra, flutuando com auxílio de um tronco. O casal havia tentado fazer o resgate, porém foi recusado pela vítima. A equipe de Inspeção Naval iniciou de imediato as buscas e por volta das 07h15 a vítima foi encontrada.

Equipe de Inspeção Naval conduziu o jovem resgatado até a Orla de Santarém (Foto: Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação)

Equipe de Inspeção Naval conduziu o jovem resgatado até a Orla de Santarém (Foto: Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação)

Ítalo Lucas da Silva, 18 anos, morador da comunidade de Inanú, região do Lago Grande do Curuai, disse à equipe de resgate que tinha sido vítima de agressões e tentativa de homicídio. Porém, quando a embarcação de resgate chegou à orla, a equipe da Inspeção Naval foi informada por um homem que o jovem teria cometido furtos na orla, e por esse motivo a população tentou linchá-lo. Populares que acompanharam o desembarque o jovem, confirmaram a versão de que ele havia cometido furtos antes de fugir.

A equipe de Inspeção Naval acionou o Samu para prestar socorro ao jovem, depois o entregou à Polícia Militar para as providências que o caso requer.

Fonte Sílvia Vieira, G1 Santarém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *