Casal suspeito de assassinar comerciante no próprio bar em Santarém é preso em Laranjal do Jari, no Amapá

O crime ocorreu em Santarém, no oeste do Pará, no dia 22 de abril deste ano. Um dos suspeitos é ex-policial Militar.

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (6), em Laranjal do Jari, sul do Amapá, Benedito de Oliveira Lima, 45 anos e sua esposa Luciana de Souza Gadelha, suspeitos de assassinar o comerciante Iran Cordeiro de Paula, de 70 anos. O crime ocorreu em Santarém, no oeste do Pará, no dia 22 de abril deste ano. O homem é ex-Policial Militar.

O casal deve ser encaminhado para Santarém nos próximos dias.

Casal suspeito de assassinar comerciante no próprio bar foi preso em Laranjal do Jari (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Casal suspeito de assassinar comerciante no próprio bar foi preso em Laranjal do Jari (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

De acordo com o investigador de Polícia Civil, Hélio Rego, foi expedido um mandado de prisão preventiva contra o casal. O mandado e fotos dos suspeitos foram enviados à delegacia de Laranjal do Jari. A polícia daquele munícipio conseguiu localizar o casal e fez a prisão deles na tarde de hoje.

Segundo a polícia, a identificação do casal foi possível graças a levantamento de imagens capturadas por câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais e residências das arredores. Em um dos vídeos aparece Benedito jogando o celular da vítima em um monte de entulho em uma rua próxima ao local do crime.

Iran foi encontrado jogado na porta do banheiro do bar na manhã do dia 22 de abril. De acordo com a perícia, a vítima estava com o pescoço quebrado, com marcas de estrangulamento e com sangramento na boca provocado pela queda.

Testemunhas disseram à polícia que viram a vítima por volta de 1h da madrugada de domingo discutindo com um casal no bar. A discussão teria acontecido porque o idoso queria fechar o bar e o casal estaria se recusando a sair. Depois disso, Iran foi encontrado morto.

(informações da redação do Portal do Oeste do Pará reproduzidas do G1. Foto: Polícia Civil/Divulgação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *